A estátua de Ibrahimovic em Malmo, na Suécia, foi novamente vandalizada. Desta vez tentaram cortar-lhe as pernas com uma motosserra. A polícia teve mesmo de vedar o local, visto que a estátua de bronze, de 3,5 metros de altura e 500 quilos, encontra-se em risco de tombar.

Os adeptos do Malmo FF não perdoam o facto de o avançado ter comprado parte do Hammarby, clube rival, e esta é a segunda vez que vandalizam a estátua do astro sueco em menos de um mês. Da primeira vez tinha sido colocada uma tampa de sanita num braço da estátua e ateado fogos à volta da mesma. Agora, para além de a terem tentado derrubar serrando-lhe os pés, colocaram-lhe ainda uma corda ao pescoço com uma placa em que se pode ler 'vendido'.

A própria casa do jogador já chegou a ser também vandalizada.

Entretanto, alguns adeptos pediram para que a estátua fosse removida para Estocolmo, sede do Hammarby, mas os responsáveis da cidade de Malmo não aceitaram a mudança. "A estátua não vai a lado nenhum. O Zlatan nasceu aqui e vai continuar vinculado a Malmo. É um exemplo para os mais jovens", frisou Frida Trollmyr, responsável pelo pelouro da cultura daquela cidade.

O Malmo, clube onde o avançado começou a jogar, já se demarcou de todos estes incidentes: "O Malmo FF demarca-se de qualquer tipo de vandalismo e das acusações racistas que apareceram na estátua do Zlatan Ibrahimovic, erguida em Stadiontorget, Malmo", pode ler-se numa nota divulgada nas redes sociais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.