Tom Harald Hagen, árbitro norueguês de 44 anos, que ostentou as insígnias FIFA entre 2009 e 2015 e chegou a apitar encontros da Seleção Nacional e de várias equipas portuguesas nas provas europeias, veio a público assumir a sua homossexualidade, afirmando que, para si, as suas escolhas foram sempre "naturais".

"Chegou o momento de dizer que sou gay. Para mim, foi sempre uma coisa natural e nunca pensei muito no assunto", afirmou em entrevista concedida ao jornal 'Glamdalen'.

O árbitro, que ainda se encontra no ativo, decidiu partilhar a sua história com o objetivo de quebrar o tabu da homossexualidade no futebol, fazendo sempre questão de sublinhar que encarou a sua orientação sexual.

Curiosamente, um dos jogos mais recentes que arbitrou, que opôs o Valerenga ao Kristiansund, foi marcado por um episódio homofóbico, com um avançado do Kristiansund, Flamur Kastrati, a insultar o treinador do Valerenga, Dag-Eilev Fagermo. O Kristiansund prometeu já um castigo severo ao seu jogador, apesar dos apelos do técnico visado para que o episódio ficasse sanado.

"Foi uma ironia ter dirigido esse jogo. São momentos que acontecem no futebol, mas é tempo de acabar com eles", sublinhou o árbitro, debruçando-se sobre esses incidentes.

Tom Harald Hagen tem, entretanto, recebido inúmeras mensagens de apoio na sequência da entrevista.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.