Através de uma mensagem partilhada no site oficial e assinada pelo vice-presidente Fernando Tavares, o Benfica garante respeitar as alterações anunciadas pela FPF para o campeonato nacional de futebol feminino.

"Depois de tudo o que o mundo tem vivido nos últimos meses, tenho de sublinhar o imenso orgulho que sinto em "ser Benfica" e integrar esta Direção do Clube, que em boa hora colocou os atletas das muitas equipas que tem em atividade e colaboradores em confinamento, dando sempre a primazia à proteção da saúde pública", pode ler-se logo no início da referida mensagem.

"Tal como em todo o projeto desportivo do Sport Lisboa e Benfica, no que toca à equipa feminina de futebol somos uma entidade responsável e com valores éticos e desportivos", acrescenta.

De seguida, Fernando Tavares esclarece que "a seu tempo, o Clube comunicará as linhas mestras para o futuro, respeitando as diretrizes e as recentes decisões de quem gere o futebol feminino em Portugal – a Federação Portuguesa de Futebol –, sabendo que é juntos que poderemos elevar o nível competitivo das principais provas nacionais bem como promover novos valores para as seleções."

De 12 a 20 equipas: Futebol Feminino também é reformulado pela FPF
De 12 a 20 equipas: Futebol Feminino também é reformulado pela FPF
Ver artigo

Além disso, o vice-presidente do Benfica aproveita ainda para enaltecer o papel daqueles que deram os primeiros passos. "De momento importa realçar os clubes verdadeiramente pioneiros, sem os quais possivelmente não haveria hoje futebol feminino. Entre outros, o 1.º de Dezembro, o Boavista, o Ouriense, o "Fofó" ou o Gatões foram precursores de uma realidade que vai continuar a crescer", refere.

"Entrámos pela Segunda Divisão, que é o percurso mais justo e respeitador para quem cá anda há longos anos, e o que alcançámos em dois anos é muito pouco comparativamente ao potencial que o nosso Benfica tem", recorda, acrescentando que os encarnados estão "confiantes no trabalho já realizado, sabendo que muito mais teremos de idealizar e solidificar, sustentados no talento de grandes atletas do presente e no tremendo potencial jovem que já caminha entre nós, reforçado pelo facto de hoje o SL Benfica ser o clube que fornece mais jogadoras às seleções jovens nacionais e distritais."

De notar que na passada quarta-feira, a Federação Portuguesa de Futebol anunciou o alargamento da I Divisão do Futebol Feminino de 12 para 20 clubes, divididos em duas séries, Norte e Sul, alargamento esse que será reduzido para 16 equipas na época seguinte.

A FPF justifica a decisão com o impacto da pandemia da COVID-19 no futebol que é expectável que "possa ser significativamente maior sobre setores em desenvolvimento", como o futebol feminino em Portugal.

Desta forma e de forma a apoiar "quase o dobro das jogadoras portuguesas, muitas delas ativas em seleções nacionais de diferentes escalões", a I Divisão passará a contar, em 2020/2021 com 20 equipas, em vez das atuais 12.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.