Longe dos olhos da imprensa e dos adeptos, o Petro de Luanda realizou esta quinta-feira, na capital do país, a penúltima sessão de treinos tendo em vista o desafio de sábado frente ao USM, da Argélia, para a segunda jornada do grupo C da Liga dos Clubes Campeões Africanos em Futebol.

Desde terça-feira que deu início aos trabalhos, depois da derrota de 0-3, na ronda inaugural, diante do Mamelodi Sundows, na África do Sul, os tricolores sempre treinaram à porta fechada, dando 15 minutos à imprensa, onde os jornalistas presenciam apenas os atletas a correrem ao longo do relvado e a fazerem alguns exercícios físicos.

Dada a importância do desafio, uma vez que os petrolíferos estão quase que proibidos de perder, sob pena de comprometerem os objectivos da passagem à fase seguinte, o técnico Toni Cosano tem preferido esconder a táctica a utilizar no jogo, marcado para as 14 horas, no estádio 11 de Novembro.

Será também uma forma de retirar pressão aos atletas, face a forte exigência dos seus adeptos.ante os 15 minutos em que os profissionais da comunicação social tiveram acesso, pode-se constatar a disponibilidade de todos os atletas, que mostravam-se à vontade, deixado transparecer que o desaire do sábado passado estava ultrapassado e que poderão aspirar por uma vitória diante dos argelinos.

A formação do eixo-viário ocupa neste momento a última posição do grupo, sem pontuar, contra um do seu oponente (terceiro colocado), que empatou em casa a um golo com o Widad de Casablanca.

O USM da Argélia chegou na tarde desta quinta-feira a Luanda e vai reconhecer o relvado do estádio 11 de Novembro na sexta-feira, dia em que será lançado o desafio em conferência de imprensa, no mesmo local.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.