O técnico português Rui Águas, que esta segunda-feira deixou o cargo do selecionador de Cabo Verde de futebol “para abraçar um novo projecto”, justificou a decisão como “uma oportunidade surgida” para tomar “um outro rumo numa carreira prometedora”.

Depois do anúncio da direcção da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), que revelava que Rui Águas já não é treinador da seleção nacional, a partir de segunda-feira, 23, o agora ex-selecionador disse que tinha abdicado de alguma situação quando veio a Cabo Verde, e que ficou “assente que se houvesse algo que fosse muito prometedor” para a sua carreira que poderia escolher o seu caminho.

A FCF explicou que o agora ex-selecionador nacional “comunicou à direcção a intenção de aceitar o convite, e solicitou a sua desvinculação, o que foi aceite”, opinião corroborada por Rui Águas que, em entrevista a RCV, disse ser uma opção própria para abraçar “um projecto interessante, diferente,” da qual não poderia abdicar-se nesta fase da sua carreira.

Rui Águas disse que deixou a seleção nacional de Cabo Verde numa fase neutra que dá espaço a FCF para reorganizar a nova equipa técnica, alegando que deixou espaço para tal, asseverando entretanto, que foi uma decisão difícil e que não lhe deixa feliz, ainda que seja “tomada com sentido e propriedade”.

Rui Águas deixa a seleção de Cabo Verde de futebol num momento que os Tubarões Azuis, nome por que é conhecida o combinado nacional, disputa a qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN’2021), nos Camarões, e se prepara para as eliminatórias para o Mundial 2022.

A este propósito, formulou votos para que a seleção de Cabo Verde consiga ter êxito nestas qualificações, numa altura que, atestou, o combinado nacional “encontra-se numa fase de transição e de renovação da equipa”, consciente que não vai ser “ nada fácil”, mas disse estar esperançado que Cabo Verde consiga finalmente a sua inédita qualificação para o Mundial.

À RCV disse ainda ter deixado a seleção nacional com uma base de dados “bem alargada”, afirmando que a sua equipa técnica tentou, “dentro dos poucos recursos”, melhorar tudo o que é estrutura para que a seleção consiga os níveis que pretende.

Rui Águas não levantou o véu sobre o novo projecto que o fez abandonar a seleção de Cabo Verde, argumentando que não pode confirmar “quer que seja” nesta altura, mas que, sim, “não vai continuar na selecção, agradecer a todos pelo carinho dispensado e desejar boa sorte a selecção, aos jogadores e à estrutura”

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.