Augusto Inácio já não é treinador do Avaí. O técnico português foi despedido do emblema brasileiro, ao cabo de sete jogos.

A decisão foi anunciada pela direção do clube nas redes sociais, um dia após a eliminação da Taça do Brasil, ainda na primeira fase da prova. A formação orientada pelo técnico português viu-se batida pelo Ferroviária, do quarto escalão, na noite de quinta-feira, com os adeptos a começarem a questionar a continuidade de Augusto Inácio ao leme do clube.

"O Avaí FC comunica que Augusto Inácio não é mais técnico do clube. Agradecemos pelos serviços prestados por ele e seus assistentes. O clube deseja sucesso em seus próximos desafios", pode-se ler no Twitter do emblema catarinense.

Esta decisão é tomada poucas horas depois de o diretor de futebol do clube ter garantido a permanência do técnico.

"O nosso pensamento é dar continuidade. Não vamos olhar apenas por este jogo. A avaliação que fazemos ocorre desde o início da temporada, olhando o dia-a-dia". Quem o garante é Marquinhos Santos, diretor do futebol do Avaí, em declarações à rádio CBN Diário, falando sobre a continuidade de Augusto Inácio no clube.

Inácio deixa o emblema que vai disputar a segunda divisão do Brasil, após sete jogos entre a Supertaça Catarinense, o Campeonato Estadual e a Taça do Brasil: somou duas vitórias, um empate e quatro derrotas. Tinha assinado contrato até dezembro de 2020.

O técnico português tinha sido anunciado no Avaí a 18 de dezembro de 2019 mas desde cedo se percebeu que este não seria um 'casamento' estável. Inácio queixou-se, várias vezes, da falta de qualidade do plantel e da demora da direção em arranjar reforços, tendo em conta o pouco tempo que iria ter para fazer a pré-época.

Uma semana depois de ser contratado, fez o primeiro jogo, onde perdeu como Brusque na Supertaça Catarinense. O técnico pediu à direçã que se colocasse a equipa de sub-23 a disputar o Campeonato Estadual de Santa Catarina enquant preparava a equipa principal para a Serie B mas tal pedido não foi aceite pela direção. O técnico chegou a dizer que "o estadual no Brasil só serve para derrubar treinador".

Antes de treinar o Avaí, o treinador orientou vários clubes em Portuggal, entre eles o Sporting. Fora do país, trabalhou no Qatar, Irão, Angola, Grécia, Roménia e Egipto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.