O guarda-redes do Chelsea Willy Caballero disse hoje “respeitar” a decisão do colega de equipa N’Golo Kanté, que se mostrou receoso em regressar aos treinos durante a pandemia de covid-19, e espera que o futebolista “volte a sentir-se confortável”.

Em declarações ao site oficial do ‘blues’ na Internet, o guardião argentino, habitual suplente do basco Kepa Arrizabalaga, considerou que para regressar aos treinos em condições tão especificas é preciso sentir confiança, algo que Kanté não tem neste momento, tendo sido autorizado a não regressar aos trabalhos.

"É muito compreensível. Nós respeitamos e vamos esperar até que ele se sinta confortável, porque a verdade é que, para fazer o que estamos a fazer, precisamos de nos sentir bem e confiantes”, defendeu o jogador, de 38 anos.

O antigo guarda-redes do Manchester City, que na passada semana estendeu o seu vínculo com a equipa da capital inglesa por mais um ano, deixou elogios ao médio internacional francês.

"N’Golo é uma pessoa muito humilde, trabalhadora e está sempre a sorrir. Ele deve ter suas razões para levantar a mão e dizer o que disse. Sabemos que ele é alguém que adora treinar, correr e é incapaz de mentir sobre algo assim”, contou.

Kanté, de 29 anos, transmitiu ao clube e ao treinador Frank Lampard o receio de retomar a atividade, mesmo que os jogadores estejam a trabalhar divididos em pequenos grupos, e vai prosseguir a preparação em casa por período indeterminado.

Além do médio do Chelsea, também o ‘capitão' do Watford, Troy Deeney, anunciou que não voltaria aos treinos, para proteger o seu filho de cinco meses, que padece de dificuldades respiratórias.

Na dia de hoje, os clubes da Premier League aprovaram por unanimidade o regresso aos treinos com contacto, dando mais um passo em direção ao reinício da temporada assim que seja seguro.

Apesar das 20 equipas poderem voltar aos treinos em grupo, ainda é desaconselhado qualquer contacto que seja desnecessário, por se defender que a “saúde e o bem-estar” de todos os envolvidos são a prioridade.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de futebol de França, Escócia, Bélgica e dos Países Baixos foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 03 de junho. A Liga alemã foi retomada em 16 de maio.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 350 mil mortos e infetou mais de 5,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Cerca de 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.