O ex-futebolista argentino Diego Armando Maradona, que morreu na quarta-feira, foi hoje enterrado em Buenos Aires, numa cerimónia privada, após um dia em que milhões de pessoas se despediram do seu ídolo.

O corpo de Maradona foi transportado para um cemitério privado, onde foi sepultado junto dos seus pais Diego Maradona e Dalma Salvadora Franco, que faleceram em 2015 e 2011, respetivamente.

Ao longo do dia, cerca de um milhão de pessoas passaram pela Casa Rosada, onde o corpo de Maradona esteve em câmara ardente, numa manifestação de homenagem ao ex-futebolista, que acabou por ficar marcada por alguns confrontos nas imediações do palácio presidencial.

Maradona, considerado um dos melhores futebolistas da história, morreu na quarta-feira, aos 60 anos, anunciou o advogado e amigo Matías Morla.

Segundo a imprensa argentina, Maradona, que treinava os argentinos do Gimnasia de La Plata, sofreu uma paragem cardíaca na sua vivenda em Tigre, na província de Buenos Aires.

A sua carreira de futebolista, de 1976 a 1997, ficou marcada pela conquista, pela Argentina, do Mundial de 1986, no México, e os dois títulos italianos e a Taça UEFA vencidos ao serviço dos italianos do Nápoles.

O Presidente argentino, Alberto Fernández, decretou três dias de luto nacional pela morte de Maradona, cujas cerimónias fúnebres vão decorrer até sábado, na Casa Rosada, a sede do governo do país.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.