A FIFA vai testar substituições adicionais de jogadores em casos de concussão real ou suspeita no Mundial de clubes, a realizar no Qatar, de 01 a 11 de fevereiro, anunciou hoje o organismo.

Esta medida, a aplicar independentemente das substituições possíveis (cinco por jogo), visa assegurar o bem-estar dos jogadores e o Mundial de clubes no Qatar será a primeira competição internacional a testar o procedimento.

A substituição adicional por concussão surge após uma ampla consulta da FIFA às principais partes interessadas e os protocolos do processo foram aprovados em dezembro de 2020.

A medida tem como objetivo enviar uma mensagem forte de que, em caso de dúvida, o jogador deve ser retirado do jogo, para evitar que sofra outra concussão durante a partida, pois vários incidentes com ferimentos na cabeça podem ter consequências muito graves.

A FIFA refere ainda que a aplicação da substituição por concussão, ou suspeita, “visa reduzir a pressão sobre o pessoal médico para fazer uma avaliação rápida, estabelecendo um procedimento simples que pode ser aplicado durante o jogo”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.